Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias do CMSE > Banda Sinfônica do Exército leva música clássica para população de São Paulo
Início do conteúdo da página

Herói da FEB, Tenente Leal falece aos 100 anos

Publicado: Segunda, 29 de Agosto de 2022, 16h57 | Última atualização em Terça, 30 de Agosto de 2022, 09h17 | Acessos: 311

Links relacionados:

Volta Redonda (RJ) – O 2º Tenente Francisco Conceição Leal, integrante da Força Expedicionária Brasileira (FEB), faleceu aos 100 anos de idade no dia 26 de agosto. Na época da 2ª Segunda Guerra Mundial, ele compunha os quadros do atual 20º Grupo de Artilharia de Campanha Leve (20º GAC L), localizado em Barueri (SP).

O então Cabo Leal foi para a Itália no Terceiro Escalão, zarpando para a Europa em setembro de 1944. Combateu em três grandes batalhas: Monte Castelo, Montese e Fornovo di Taro, estando em um dos maiores feitos da Força Expedicionária Brasileira, a captura da 148º Divisão Alemã.

No dia 11 de agosto, a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) realizou uma homenagem em razão do seu aniversário de 100 anos, com a presença de integrantes da 1ª Divisão de Exército – Divisão Mascarenhas de Moraes, do 20º GAC L – Grupo Bandeirante, do 1º Esquadrão de Cavalaria Leve – Esquadrão Tenente Amaro, além de autoridades civis e representantes de associação de ex-combatentes.

Natural de Valença, interior do Rio de Janeiro, o Tenente Leal residia em Volta Redonda. Ele deixa um legado de patriotismo, heroísmo e defesa dos ideais de liberdade e democracia.

Força Expedicionária Brasileira

Em 1944, mais de 25 mil brasileiros foram enviados à Itália para lutar contra os países do Eixo. A FEB foi constituída por uma única divisão, a 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária (1ª DIE), sob o comando do Marechal João Batista Mascarenhas de Morais.

O Brasil venceu a guerra ao lado dos Aliados em 8 de maio de 1945. No total, 478 Pracinhas, como ficaram conhecidos os integrantes da FEB, morreram em combate e foram sepultados no cemitério de Pistóia, na Itália. Suas cinzas foram transladadas para o Monumento Nacional aos Mortos da Segunda Guerra Mundial, no Rio de Janeiro (RJ), em 5 de outubro de 1960.

registrado em:
Fim do conteúdo da página