Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias do CMSE > Banda Sinfônica do Exército leva música clássica para população de São Paulo
Início do conteúdo da página

Aviação do Exército inicia testes de operações com drones

Publicado: Quarta, 30 de Novembro de 2022, 13h55 | Última atualização em Quinta, 01 de Dezembro de 2022, 16h02 | Acessos: 387

Links relacionados:

Taubaté (SP) – Aumentar a capacidade de combate e defesa, ampliar técnicas de inteligência, reconhecimento, vigilância e aquisição de alvos. Tudo isso proporcionado pelos pequenos, porém eficientes equipamentos que estão sendo recebidos e testados pela Aviação do Exército (AvEx): os Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARP).

Os SARP categorias 0 e 1 vão apoiar a Força Terrestre em todo território nacional, em operações de vigilância, segurança e monitoramento de fronteiras, minimizando os riscos e exposições de militares em combate, além de reduzir custos.

"O recebimento inicia com a contagem do material, para verificação. Depois disso ele é submetido a voos e verificação de todos os equipamentos, como optrônicos, câmeras etc. Depois que conferimos que está tudo funcionando, é lavrado o termo de recebimento definitivo. Com este termo, fica atestado que o material está pronto para o uso do Exército", explicou o Tenente-Coronel Luiz Ângello Pelinsari Camilo.

Cada uma das categorias tem uma finalidade e características específicas. As 30 unidades recebidas da categoria 0, modelo Mavic 2, serão distribuídas para uso em pequenas frações. Elas possuem uma câmera embutida dupla com zoom de 32 vezes, além de sensor de visão termal, que permite que o alvo seja detectado mesmo com baixa luminosidade. A autonomia é de 31 minutos e um alcance de 10 quilômetros.

Já a categoria 1, modelo Matrice 300 RTK, será inicialmente destinada para Aviação do Exército com fins de realizar uma experimentação doutrinária. As quatro unidades recebidas possuem a câmera Zenmuse H20T, com zoom de 200 vezes e função de visão termal, além de alcance de 15 quilômetros e 50 minutos de autonomia.

"Os SARP são munidos de câmeras muito capazes que podem, por exemplo, dar a direção relativa do objeto e focar um possível alvo, conseguindo dizer em graus qual é esta direção. E o telêmetro, que é suficiente para poder guiar um tiro de artilharia. Além disso, o SARP ainda tem a visão termal, que em situação pouca luminosidade, uma pessoa camuflada tentando se esconder de noite, por exemplo, ele consegue localizar e indicar claramente o alvo", disse o Tenente-Coronel Pelinsari.

registrado em:
Fim do conteúdo da página