Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias do CMSE > Estudantes do CMSP vão participar de Olimpíada de Matemática na Tailândia
Início do conteúdo da página

Aviação do Exército segue no Rio Grande do Sul apoiando a população gaúcha

Publicado: Quarta, 08 de Mai de 2024, 14h28 | Última atualização em Quarta, 08 de Mai de 2024, 14h40 | Acessos: 806

Rio Grande do Sul – Desde o dia 1º de maio, a Aviação do Exército atua na Operação Taquari 2, em apoio à população gaúcha, depois que fortes chuvas causaram estragos no Rio Grande do Sul. Atualmente, nove helicópteros dos modelos Pantera k2, Fennec AvEx, Cougar e Jaguar estão em operação no estado.

Os militares estão sendo empregados na busca de pessoas ilhadas, na localização de desaparecidos, no resgate de feridos, no reconhecimento de áreas atingidas e de risco e no transporte de mantimentos.

As buscas ocorrem de dia e noite, pois as tripulações estão equipadas com OVN (óculos de visão noturna), que permitem o voo noturno com baixa luminosidade e possibilitam o pouso em áreas não preparadas.

Além disso, oficiais e sargentos da Aviação do Exército possuem o curso SAR (Search And Rescue), que capacita os militares a atuarem em operações de busca e salvamento.

O curso também habilita os militares em atendimento pré-hospitalar (APH) aos tripulantes de aeronaves ou acidentados em geral; operação de zona de pouso de helicópteros; navegação aérea, terrestre e fluvial; comunicações; técnicas de infiltração e exfiltração aérea, terrestre e fluvial; tiro com diversos tipos de armamento; operações com equipamentos mecânicos de apoio, sobrevivência na terra e no mar; salvamento aquático, mergulho livre e autônomo; operação em montanha e resgate em áreas de difícil acesso; técnicas de escape de aeronave acidentada; combate a princípios de incêndios; e prevenção de acidentes aeronáuticos.

Calamidade pública

Até o momento, 1.456.820 pessoas foram afetadas pelas chuvas em 417 municípios, segundo a Defesa Civil do Rio Grande do Sul.

Ainda de acordo com a Defesa Civil, 66.761 pessoas estão em abrigos, 163.720 estão desalojadas, 372 ficaram feriadas e 128 estão desaparecidas.

Cem óbitos já foram confirmados.

registrado em:
Fim do conteúdo da página